Problemas médicos se não tratada

  • Qualquer pessoa tem direito à sua própria imagem, simétrica e proporcionada.
  • A repercussão morfológica é, às vezes, muito severa, em alguns casos, pior que nas craneosinostoses simples e complexas, facto que produzirá sem dúvida problemas psicológicos já na primeira infância e na adolescência.
  • A repercussão funcional nos casos não tratados pode chegar a ser importante.

Miller e Clarren publicaram que 39,8% das plagiocefalias não tratadas produzem um atraso maturativo neurológico.
Kordestani e colaboradores (2006) estudam 110 pacientes afectados de plagiocefalia não tratada e descobrem que: 19% possuem atrasos psicomotores médios, 7% atrasos psicomotores importantes, 7% atrasos cognitivos medianos e 3% atrasos cognitivos importantes.
Nossos profissionais estão a realizar estudos prospectivos em crianças tratadas para determinar o grau de afectação funcional por idades, sexos, tipos de deformidades e severidade dos memos.

Uma percentagem altíssima de plagiocefalias apresentam-na. Muitas vezes passa despercebida. O plano dos olhos e a altura das duas orelhas desviadas da horizontal, a dificuldade de girar para um lado, a predilecção de dormir sempre do mesmo lado, nos fazem suspeitar quando um lactante tem uma TMC. Se olhando o vosso filho(a) desde atrás observa uma dobra como a da foto, é quase seguro que tenha um torcicolo.

É importante tratá-lo logo, diariamente e durante todo o tempo necessário.

As sequelas das TMC não tratadas ou não resolvidas são muito graves porque à deformidade própria do crânio produzida pela plagiocefalia deve-se acrescentar a deformidade facial provocada pelo desvio do pescoço.

Existe apenas um artigo sobre alterações dos potenciais auditivos evocados na plagiocefalia. Falta mais investigação para determinar a importância clínica deste estudo.

Existem dois artigos que encontram defeitos visuais nos pacientes afectados pela plagiocefalia.

bebe con plagiocefalia